terça-feira, agosto 30, 2005

ESTOU CEEEEGO, ESTOU CEEEEGO!

Convidaram-me e a companhia era boa. Geralmente, para mim é suficiente. E, nestas coisas, há que experimentar; nunca se sabe, pode ser interessante. Fiquei a saber que "O Bando" tem actores muito bons. Aliás, eu até teria gostado da peça se ela tivesse demorado uma hora, em vez de três (e note-se que da história eu não sabia nada).

Tudo bem, uma epidemia de cegueira é realmente original. Já o "vamos lá ver até que ponto vai a degradação humana quando se instala o caos e a lei da sobrevivência", lamento, mas não é nada de novo (ou, se calhar, é originalíssimo, mas a mim não me diz grande coisa). Porque raio é que o fatalismo e a depressão hão-de ser mais profundos do que a alegria e as coisas boas (misery really loves company)?! Mal por mal, sempre prefiro um faduncho; é assim mais sincero e tem menos peneiras.

Uma ideia muito gira foi a de usarem os cheiros na sala de teatro de acordo com cada cena. O problema foi que, durante quase duas horas, a peça limitou-se a um grupito de ceguinhos (- 1) enfiado numa sala de um asilo, desesperados, esfomeados, moribundos e porcos... e eu estava na 2.ª fila... se o enxofre desse moca, tinha sido a trip da minha vida...

E o final da peça, ao fim de trilhar três horas, não traz assim nada de excepcional... curam-se todos e concluem que, apesar de todos verem, continuam cegos... ok... se calhar sou só eu, mas parece-me que, se não fosse assim, a vida era um pic-nic para toda a gente.

5 comentários:

DUENDES E BATATAS disse...

POR FAVOR, NÃO BATAM MAIS NO CEGUINHO!

Mipo disse...

foi mais ou menos isso!

ISA disse...

e o pior cego é aquele que n quer ver e trálálá... E por falar em cantar: Willy Wonka, Willy Wonka... Beijos!

Mipo disse...

... the amazing chocolatier!

Oumun disse...

ahahhaha
deve ter sido gira deve!

bjocas