sexta-feira, dezembro 30, 2005

Dúvida existencial # 16

Se eu já passei o ano no dia 21 de Novembro, porque raio tenho de comemorar amanhã?

Todos os anos é o mesmo stress. Tem de se "arranjar" programa para a passagem de ano. É uma regra implícita. Tudo bem, qualquer motivo é bom motivo para celebrar, mas, a não ser que eu tenha nascido no dia 31 de Dezembro, eu já passei o ano.

E refilo, mas todos os anos cedo à pressão. Confesso que a ideia de não fazer nada que não fizesse noutra noite qualquer me assusta um bocado.

No fundo, é uma questão de teimosia. Algumas das noites mais desprovidas de divertimento da minha vida foram na passagem de ano, incluindo inúmeras meias-noites assistidas no carro a tentar chegar a algum lado, cenas de pancadaria, festas em-casa-de-alguém-que-é-amigo-de-um-conhecido-de-alguém onde o dono da casa não nos queria lá (porque, diga-se em verdade, nem nos conhecia), carros atascados em poças, lareiras que metiam o fumo para dentro e nos obrigavam a abrir a janela para o frio gelado do Inverno, gripes por entre copos, etc.

A pior de todas incluiu um espalhafatoso acidente de automóvel de madrugada, depois de uma festa desastrosa, em que acabei por chegar a casa às 9 da manhã, de boleia com o Esteves - o porteiro da discoteca.

Talvez seja uma metáfora cósmica: muitas passagens e mudanças são dolorosas; assim na linha das dores de crescimento. Por mim, contentava-me por uma noite simpática, a dançar ou à conversa, mas se calhar o universo está a tentar dizer-me qualquer coisa e, como sou de compreensão lenta, isto vai durando.

Este ano, já me tinha decidido por uma noite caseirinha, na palheta, com alguns amigos. Aquela coisa de pular mais na pista de dança só porque o relógio o manda não me estava a apetecer.

Aparentemente, a coisa vai concretizar-se. Parece que vou entrar no dia 1 com as minhas duas amigas canadianas e mais umas portuguesas.

De qualquer modo, estejam onde estiverem, em Portimão a ver passar o Lisboa-Dakar, no Terreiro do Paço ao pé da árvore, ou no Lux a agitarem-se violentamente, bom revelhão a todos! Votos de um excelente 2006, sem acidentes de percurso!

6 comentários:

bonifaceo disse...

Eu tenho passado os últimos 5 anos em casa de álguém conhecido, o grupo principal tem sido sempre o mesmo, apenas vai mudando de casa e o grupo geral vai ficando mais pequeno...
Este ano esperei que surgisse um convite antes do desse grupo, porque queria algo diferente, mas nada. Mas vai haver uma mudança, janta-se em casa do mesmo do ano passado, e depois se já não estivermos muito bêbedos vamos até à Figueira da Foz para depois regressar a Aveiro.
A ver vamos como vai correr.
Espero que tenhas uma óptima Passagem de Ano sem percalços. Bom Ano Novo, beijos.

Kwan disse...

Portimão... é isso! Fui!

madrinha disse...

É pena não quereres as perdises soculentas que eu tenho para o jantar de 31, para não falar do belo queijo da serra e da maravilhosa pomada que acompanha isto tudo...
Além disto e de outras iguarias maravilhosas, perdes a oportunidade de uma passagem de ano em amena cavaqueira, à lareira e com uma excelente companhia!

ISA disse...

para ti tb. tudo de bom. bjs

marta disse...

excelente 2006 :)

pinky disse...

passagens do ano em discos são fora! eu tenho passado sempre em casas com os amigos, a seguir sai-se, no lux nunca me apanham nem arrastada, em noite de passagem de ano.
este ano fui para o bairro ás 2 da matina, diverti-me imenso foi dançar ate de manhã.espero que a tua passagem tenha sido divertida.