quinta-feira, abril 20, 2006

Olhares enviusados

Por acaso, neste momento, estou quase com um desses, mas é à custa do computador. Aqueles que me levaram a reflectir são outros: os que se trocam em lugares públicos.

Apanhei o metro há dias e dei comigo a reparar na quantidade enorme de olhares de soslaio que eram trocados por toda aquela gente que (obviamente) não se conhecia. Só comigo, apanhei três, dois da mesma pessoa (cheguei à conclusão que era por causa do cabelo a pingar e tez escarlate - resultado da ida ao ginásio). Fiz aquilo que sempre faço; assim que topava um olhar enviusado, olhava para os olhos da pessoa (não numa atitude de "quantos são?! Tu e mais quantos?!", mas numa atitude curiosa, como quem pergunta "em que posso ajudá-lo?"). Os olhos interrogados rapidamente se viravam para o lado oposto.

O que é facto é que toda a gente o faz. Toda a gente, pelo menos no metro e a dada altura, observa discretamente os companheiros anónimos de viagem... e desvia os olhos prontamente assim que é "apanhado", não vá a pessoa olhada sentir-se invadida na sua privacidade.

Começo a achar que era muito mais simples irmos ter com as pessoas e dizermos o que nos vai na cabeça. Por exemplo: "peço desculpa, mas tenho de lhe dizer que essa camisola lhe fica muito mal. Aliás, ficaria mal a qualquer pessoa. É muitíssimo feia. Por favor, livre-se dela". Ou "estou a morrer de curiosidade. O senhor tem algum problema no lábio superior ou é mesmo assim?"; "Adorava ter uns sapatos iguais aos seus! Onde os comprou?".

Haveria um universo de possibilidades! E, pelo menos durante a viagem de metro/autocarro (sim, porque isto se aplica a todos os transportes públicos + elevadores, pelo menos), iriamos todos animadamente à conversa, em vez de nos andarmos a controlar, enquanto pensamos no que vamos fazer para o jantar.

7 comentários:

bonifaceo disse...

Não me digas que não tomaste banho e ias toda suada!?... ui ui ;).
Eu quando reparo que mais que uma pessoa está a olhar para mim, fico com medo que esteja alguma coisa mal... e então levo as mãos ao cabelo, e o indicador à boca (tipo gajo do Martini)...
Beijo.

maria disse...

pois era um novo leque de oportunidades que se abria..tens razão!...o pior era ter que responder aos melgas...

PS: Para mim só dava nos elevadores...(o que era uma vantagem porque a viagem é bem mais curta:)...uhmmmmm...vou meter essa ideia em prática:)

hl disse...

Não pensaste que podia ser alguém que te achasse atraente? :)

Mipo disse...

claro que tomei banho (daí o cabelo a pingar!)!

Maria, depois conta como correu! (se resultar, podemos espalhar uma nova tendência)

Hl, pelo menos 2 dos olhares vieram de uma senhora que me estava a observar a indumentária

hl disse...

Lol ok:)

ISA disse...

e poderia ser um princípio de graaaaaaaaaaaaaaaandes amizades... bjs

Anónimo disse...

Sem dúvida que seria uma óptima ideia.
Primeiro, o pessoal deixava (eventualmente) de ir com aquela cara-de-cu (perdoa-me, ia escrever enfado, mas é cara de cu, mesmo!).
Segundo, quem sabe até te ajudavam e te davam uma ou outra sugestão para o jantar...
:-D
Bem, poderia ir por aí fora (como tu bem sabes ;) ), mas não temos tempo. :-D

Beijos