sexta-feira, maio 19, 2006

Roubaram uma vaca!

Do Campo Pequeno. Se alguém vir uma pessoa com uma vaca azul debaixo do braço, a correr como quem foge, gritem "agarra que é ladrão!". Possivelmente, podem até tentar apanhá-la. Aposto que não estará a correr muito depressa.

Sinceramente, fiquei com alguma inveja. Gostava de levar a vaca-táxi (matrícula VA-CA-06), que está no Saldanha, para casa. Só não o fiz, porque não sei muito bem como a conseguiria carregar pelos cinco lances de escadas acima, muito menos como a faria passar pela porta da entrada. Lá lugar para ela ainda se arranjava, tipo no meio da sala (ainda dava para lhe pendurar umas coisas em dias de festa).

Vou esperar uns meses - pode ser que ela saia em miniatura.

8 comentários:

bonifaceo disse...

Então, as vacas vão ser leiloadas, ganhas o leilão dessa :D e depois alguém ta há-de entregar.
Beijo.

Camélia disse...

Eu precisava dessas vacas todas para levarem os touros p/lameiro lá na Moita! Irra pessoal aficcionado! Blargh!

Anónimo disse...

MANIFESTO DAS VACAS DE LISBOA


São os mesmos que tiraram vacas e gentes do interior que agora enchem Lisboa de vacas em fibra de vidro para a adoração urbana.

São os adeptos do pensamento único que impôs e impõe o fecho de escolas, o encerramento de serviços de saúde, de maternidades, de postos de correio, de linhas de caminho de ferro, de tudo o que tenha algum cheiro a humanidade no interior rural que estão agora sem vergonha a encher Lisboa com as suas vacas em fibra de vidro.

São os mesmos que nunca se preocuparam em levar a arte a ninguém, que sempre desprezaram as pessoas e o seu sentir que numa caricatura pretendem agora encher duma pseudo arte urbana as ruas e praças da capital.

Eles que nunca apoiaram museus, que nunca apoiaram companhias de teatro, que nunca se importaram com a educação artística e o desenvolvimento da sensibilidade e da criatividade nas escolas, nas colectividades e na vida cultural portuguesa são eles que agora sem pudor à revelia dos artistas e dos Lisboetas enchem de vacas a paisagem urbana de Lisboa.

Eles que sempre defenderam o machismo, o sexismo e o patriarcado para melhor poderem explorar a Mãe-Terra e os todos os seus filhos. Sim eles, os corifeus do pensamento único que amesquinha e despreza nacionalidades, línguas e povos com o intuito de os fazer subservientes à lógica do lucro e do dinheiro. Os mesmos que espalham plantas transgénicas, pobreza e doença e destroiem a Amazónia, que devastaram África e enchem o mundo com as suas guerras de pilhagem.

É contra eles que estamos. Contra a sua lógica e o seu poder. É para lhes mostrar como os desprezamos e do que somos capazes que apelamos à destruição das Vacas da Cowparade de Lisboa, seus símbolos arrogantemente expostos na nossa cidade.

Vandalizar as vacas é mostrar-lhes o caminho que não queremos seguir. É afastá-los da capital, mostrar-lhes que Lisboa não é mais uma cidade segura para as suas actividades empresariais, para as suas reuniões de estado, para os seus congressos e passeatas globais. Para as suas ideias.

Vandalizar as vacas é mostrar-lheS como aqui há pessoas (vacas e tipos tesos) gente indomável e independente que não os quer por perto.

Vandalizemos as vacas com a mesma raiva com que um dia vamos varrer as suas ideias e os seus patrões da face da terra.

Todos os patrões.

AS VACAS DE LISBOA

Apelamos a que se juntem a nós, espalhem esta ideia e divulguem por todos os meios os resultados das acções. As fotografias e relatos ajudarão a ampliar a nossa acção.

ISA disse...

estava em monsanto, com os seguintes dizeres: mais vale uma vaca em monsanto do que 2 no campo pequeno!!! os ladrões eram criativos... bjs

(quem é o animal do comentário anterior???)

Mipo disse...

é que não faço ideia... mas é diferente demais para apagar! No meio de tanto parágrafo, acho que quem o escreveu não tem a mínima ideia de que os lucros revertem a favor de instituições de solidariedade (não que isso interesse; o que interessa é deitar abaixo esta sociedade capitalista e imperialista!)

Rui disse...

Cá para mim, foi a vaca que soube da abertura do Campo Pequeno e, pelo sim pelo não, foi andando para casa.

Nuno disse...

Não se pode condenar quem roubou a vaca. Afinal, não é todos os dias que aparece um ladrão com bom gosto. ;)

Anónimo disse...

Heheh
Foi um bocadinho chato, mas que os "pilha-vacas" tiveram piada, tiveram!
Shoot me, eu delirei qd me contaram! :-DDD

Ó Camélia, não é preciso, os toiros da Moita são educadinhos, seguem os cabrestos! :-P