segunda-feira, setembro 18, 2006

Despedidas

Já tive as primeiras, de alguns que já foram e de quem já não me vai ver antes de eu ir. E é muito estranho tanto estar de um lado como do outro. É estranho tentar mostrar a alguém num único momento tudo o que dessa pessoa também somos nós e não saber quando ou se a vamos voltar a ver. Ainda mais se nos é difícil exprimir sentimentos. Dar um abraço e dizer "vejo-te em 2008" é estranho. E tentar não chorar porque o drama é descabido.

É estranha a sensação de saber que é impossível eu não mudar durante um ano e não saber como nem para quê. É estranha esta mudança induzida, este corte radical, quando só com o fluir do tempo a vida já nos muda e as relações já se vão modificando. E o desconhecimento, não de quem nos espera na volta, mas dos olhos com que os vamos voltar a ver. Vêm diferentes, de certeza, e não será de nenhuma operação a laser.

As pessoas serão as mesmas, os bons amigos continuarão a ser bons amigos, mas a intimidade, as cumplicidades e as referências serão diferentes. Ou não. O que custa é não saber.

Desta vez não dá para deixar passar com um "até logo".

13 comentários:

ISA disse...

Pois eu digo: até já.

e olha, n te iludas, as pessoas n mudam. crescem, amadurecem, mas n mudam. a tua natureza vai ctg pra onde fores e fica ctg até morreres.

(ainda n provei a sopa... é hoje, é hoje!

Mipo disse...

não é a minha natureza que está em causa, é todo o resto de mim.

C. disse...

Um ano passa a correr... Ou eu estou em denial (ainda), ou passa a correr.

Não tenho dúvidas que virão diferentes, tu, que eu conheço só do blog e de um minutinho, a outra maluca que eu conheço por dentro e por fora, os outros que conheço de ver ao longe, mas confio que quando se vai atrás do próprio caminho, só se muda para melhor.

Sim, tens razão, a cumplicidade, até o vocabulário que se usa só porque a outra pessoa diz "quilhada até à quinta casa" e nós damos por nós a dizer o mesmo, isso vai esbater-se. Mas um ano passa a correr...

Mipo disse...

isso passa. A partir dos 20 é um ver se te avias!

C. disse...

Quais 20? Já vou quase nos 30! Epá, passa mesmo a correr! ;)

Mipo disse...

viste? Nem deste por ela!

ISA disse...

todo o resto de ti incluindo os outros ou és tuzinha mesma???
bjs e no worries. o correio tradicional ainda existe e eu tenciono voltar a usá-lo ctg.

a partir dos 30 é que é! vcs n sabem o q dizem... mas lá que é um vê se te avias, ai isso é!

Mipo disse...

euzinha mesmo, sem worries, mas sem pé.

Osga Esparramada disse...

Não há nada mesmo como os 40!!!

Jarhead disse...

Um comentário de quem queria ir e discerniu que não vai: tens toda a razão Mipo, são estranhas as despedidas e é angustiante não saber o que vamos encontrar no olhar daqueles que não o nosso mundo, o nosso dia e a nossa noite, apesar de os vivermos no imaginário e na memória.
Parece que Nietzsche terá afirmado que, quando olhamos para dentro do abismo, o abismo também olha para dentro de nós. Esta vai ser a relação dos próximos - muitos - meses entre os que ficam e os que partem. Vou ter saudades tuas Ismael, vou sentir falta de ter perdido este barco em que tu vais.

Mipo disse...

Perdeste este barco, mas todos os anos há mais, Ismael!

Me disse...

Claro que não podia deixar de aparecer... saudades sentia-as assim que virei costas e dei o primeiro passo, naquela rua da cidade que tanto amo...

Para ti C. ( e para ti Mipo) acho que a frase é mais ou menos: "buildings burn, people die, but true love last forever"

E para ti Jarhead... continuo a achar que és feio, por teres decidido não partir... Acho que ligação com o gaijo lá de cima naqueles dias se deve ter trocado... mas continuo à tua espera deste lado do mar...

Mipo disse...

Me! Me! Me! Que saudade!...