quinta-feira, janeiro 05, 2006

"A short history of nearly everything"

Comecei a ler um livro que me parece ter sido escrito para mim. Quer dizer, se for bem a ver, de cada vez que leio um livro que me prende, tenho a sensação de que ele foi escrito para mim, de modo que, se alguém algum dia me dedicar um livro, a honra vai passar-me completamente ao lado.

No entanto, este livro em específico já me pareceu ter sido feito por medida logo na introdução. Diz o Bill Bryson que se apercebeu, já bem entrado na idade adulta, de que não sabia quase nada sobre nada (por exemplo, porque é que a água do mar é salgada?), fundamentalmente porque os livros de ciências por onde estudou em criança eram uma seca, sem ponta de interesse. De modo que resolveu escrever uma espécie de guia centífico básico para leigos, em linguagem de leigos e aproveitar para aprender qualquer coisita.

Assim que vi o livro e li a contra-capa, vi que tinha de comprá-lo. Toda a minha vida funcionei à base de letras e interpretações. Sempre desconfiei das coisas que são puramente objectivas. A minha reacção é logo a de pensar "mas isto deve ter mais pontos de vista". Obviamente que, desde cedo, choquei com a matemática, com a qual sofria desalmadamente. Aliás, não me dou mesmo com números, fazem-me confusão, parecem-me sem graça, descaracterizados...

Diga-se de passagem que este senhor é conhecido por escrever livros sobre viagens. Li o livro dele sobre a Austrália e passei o Verão a rir com os comentários.

Tudo isto porque me apeteceu pôr aqui um excerto da introdução, que está fantástica:

"(...) Being you is not a gratifying experience at the atomic level. For all their devoted attention, your atoms don't actually care about you - indeed, don't even know that you are there. They don't even know that they are there. (...) Yet somehow for the period of your existence they will answer to a single rigid impulse: to keep you you."

E é isto. Se continuar assim, já me estou a ver a acabar o livro e a ficar a saber imenso sobre ciência.

4 comentários:

MorangoTopázio disse...

Que livro interessante! E como a ciência é a minha vida vou aceitar a sugestão!

Rui disse...

Esse livro é excelente. O Bill escreve muito bem.

pinky disse...

parece um livro muito engraçado! eu tenho a mesma atitude de desconfiaça que tu tens em relação ás ciências objectivas, o é assim e acabou-se" não me convence.
depois conta se o resto do livro foi tão giro como o princípio, boa?
bjs

ISA disse...

se lesse uma introdução dessas tb comprava o livro! bjs. já tás boa?