quarta-feira, março 29, 2006

Flash de 2005

Éramos uma camioneta cheia deles. Tinhamos passado o dia a passear, em estilo de excursão pipoca, e culminámos numa valente e demorada jantarada, regada a preceito, à boa maneira de "lá de cima".

À saída do local do repasto, que foi semeado de intensos discursos e confissões de coração aberto, já ia tudo a cantar alegremente. Entrámos todos para a camioneta, para regressar ao local de repouso (que foi pouco nessa noite), espalhando-nos pelos vários lugares vagos. Rapidamente me juntei às meninas da cantoria, nos lugares do fundo, como é da praxe. Arrancámos numa animação.

De repente, vi-me no meio de um quadro verdadeiramente surrealista, que ainda hoje me dá riso no estômago quando me vem à cabeça: cinco de nós "cantavam" a plenos pulmões lá atrás, um outro esbracejava e gritava pelo glorioso no meio do corredor, enquanto puxava uma menina para dançar; à frente, um dos nossos guias delirava com a música romena cigana que tinha lançado em alto volume no CD do veículo. Entusiasmado pela festa, o motorista tinha-nos posto a dar voltas a uma rotunda, carregando no pedal do acelerador, por entre os gritos assustados do elemento mais velho do grupo que, ferozmente agarrada ao banco da frente, suplicava desesperada que a deixassem voltar imediatamente para Almada.

Chegados ao alojamento, a noite ainda seguiu para bingo, deixando os resistentes de um grupo tão heterogéneo como improvável lavados em lágrimas de riso, nalguns casos a escorrer pelo pijama.

Se todas as visitas de estudo da minha vida de estudante tivessem sido como esta, eu nunca teria chegado a acabar o liceu.

8 comentários:

Camélia disse...

Já somos duas! E o que eu gostava de sentar-me nos lugares do fundo da "caminota" e cantar até alguém me mandar calar! Os "óculos de sol" começavam o mote, daí até à Gloria Gaynor, era um tirinho. Ah saudade!!

Mipo disse...

pois que o grave foi que isto se passou no ano passado... e era tudo malta com idade para ter juízo!

Camélia disse...

Não é nada grave! Abençoados flashes!! Ainda no passado fim de semana fiz uma figuraça daquelas num restaurante goês. E olha que estava a beber Coca-Cola. Mas quando estou no meio de amigos a palavra d'ordem é aparvalhar. Já me custa tanto a seriedade diária. Aliás, sempre fui conhecida como a "palhacinha" do grupo, portanto acho que isto diz tudo.

Só assim é que conseguimos manter a nossa sanidade mental: aparvalhando de vez em quando.

bonifaceo disse...

Que exagero esse de não acabar o liceu, afinal de contas, as visitas de estudo eram uma vez por ano, e não eram testes de avaliação... :D
Eu infelizmente tive poucas visitas de estudo, a última foi mesmo no 10º ano (a única de 2 dias), aliás, quando entrei na universidade tive uma a uma cadeira... ainda houve uma professora a cantar com uma viola, mas não havia aquele espírito como no liceu, que é para a maluqueira.
Beijo.

hl disse...

O que vale é que a maioria das minhas excursões de liceu eram no final de cada periodo, senão não sei não :)

Marta e Sara disse...

É preciso não esquecer os boxers do motorista!!!!!

Marta e Sara disse...

Ai que saudades

Mipo disse...

eheheh há tanto tempo que não vemos aquele senhor em cuecas!!