segunda-feira, maio 22, 2006

A propósito do "Couves & Alforrecas: Os Segredos da Escrita de Margarida Rebelo Pinto"

Imagino-me na pele dela e, das duas uma:

a) Tinha capacidade de encaixe e até achava alguma graça (desconfio que só o facto de ver o meu nome à frente de duas coisas como couves e alforrecas era capaz de me fazer rir);

b) Não tinha capacidade de encaixe, calava-me caladinha e ia discretamente, em privado, lamber o orgulho ferido e gozar o dinheiro que já teria feito à conta dos livros vendidos.

Jamais armar uma algazarra e ir para tribunal seria uma opção c).

Se o alvo do livro não se tivesse abespinhado tanto, nem eu teria reparado nele. Talvez até tivesse passado ao lado da maioria das pessoas. Mas vai na volta chamar a atenção era mesmo a ideia...

4 comentários:

ISA disse...

pois parece que a teoria é mm essa. chamar a atenção para o novo livro dela q foi publicado praticamente na mm altura. a gaja perdeu o caso em tribunal, n havia matéria de fundamento da queixa, ou lá como é que se diz em linguagem de direito... bjs

@ndrei@zul disse...

ela até é indigna q escrevas um post sobre ela.. por isso faz outro post! rápido! ;)
baci!

Olivia Palito disse...

eu tenho cá para mim que aquilo foi trabalho de equipa. é que a publicidade toda em volta das couves, fez de certeza o JPG ganhar umas lecas à conta da guidinha, e ela deve ter ganho com isso também :)

Anónimo disse...

I really enjoyed looking at your site, I found it very helpful indeed, keep up the good work.
»