segunda-feira, abril 03, 2006

Sobre o amadorismo

Seguindo as postas sobre gratuidade, surge o amadorismo. Não há assim nada melhor do que fazer qualquer coisa só porque sim. Não é pelo dinheiro, porque a sociedade obriga, ou por quaisquer convenções estabelecidas.

Não tenho qualquer dever explícito ou implícito de gostar de bricolage (bem, no meu caso, de bricolage não mesmo; mau exemplo talvez). Ninguém me obriga a controlar os peixes de um aquário, ou a fazer parte de um grupo amador de teatro, ou a vestir-me de preto para ir bater os pés (este sim, é o meu caso). Não se ganha dinheiro com isso (aliás, gasta-se), nem se impressiona ninguém (pelo contrário, a reacção é normalmente "lá está ela/ele com aquelas manias! Deves achar, deves...!").

E é por isso que é giro. Não serve absolutamente para nada a não ser para o mais importante - que é para nos dar gozo. Um grande bem-haja a todos os amadores!

2 comentários:

@ndrei@zul disse...

também acho importante fazermos coisas que não servem pa nada sem ser pa descomprimir porque depois conseguimos melhor fazer o que temos mesmo que fazer.. tás lá... :)
baci

hl disse...

Importa é fazer o que gostamos, ajuda e muito a ser feliz:)